quarta-feira, 12 de maio de 2010

Passarinho

Hoje, ao passar pelo gramado,
Colhi duas flores
Tão belas, tão rosas
Tão inusitadas fora da primavera.

Agora, ao vê-las murchas
No copo com água
Onde as sepultei
Me sinto mais humana do que nunca.

Pois o homem não tem delicadeza
Para apreciar as flores
Sem arrancá-las
Ou a vida
Sem dominá-la.

4 comentários:

  1. Senti uma micro-influência de Manoel de Barros por aqui... Seria impressão minha? Hehehehe...
    Adorei Gabi! Melhor parte:

    "Agora, ao vê-las murchas
    No copo com água
    Onde as sepultei
    Me sinto mais humana do que nunca."

    Cada vez melhor minha querida! Beijão

    ResponderExcluir
  2. "Pois o homem não tem delicadeza
    Para apreciar as flores
    Sem arrancá-las
    Ou a vida
    Sem dominá-la."

    tu é demais, Gabi! sou tua fã!

    ResponderExcluir