domingo, 5 de dezembro de 2010

Prisão II

A falsa paz das quatro paredes
Vigiadas, cheias de aflição
O medo dentro é maior que fora
Mas quem vai falar mal da construção?

Se pedir barreiras pra esconder o mundo
Talvez fuja de tamanha pressão
Mas quem fecha a alma no próprio corpo
Nem sequer tenta ouvir a canção.

Prisão I

Da janela eu vi o sol batendo
Nas folhas douradas que caíam do ipê
E, em qualquer outro lugar, eu acharia
Em tal imagem a dádiva do dia...

Mas não aqui
por que o aqui me sufoca.