segunda-feira, 29 de outubro de 2012

a desesperançar

A escuridão parece eterna
e em pensar eternidade, sofro.
Bom fosse o mundo fugaz
pra ser eterna apenas a consciência do ir
- foi.

Um comentário:

  1. Gabriela,

    O contágio do teu poema é proporcional ao surracionalismo que o infecta. Como é gostoso adentrar em entrelinhas tão aninhadas nas favelas do teu imaginário, e aqui, drenadas na forma em que tu captas teu existencial. Saqueaste de mim um sentimento nobre: O amor. Menina, estou completamente em êxtase. Obrigado mesmo por me dar esses colírios mirabolantes. Quanto ao amor pelas tuas letras, esse, deixe que eu cuido. Parabéns poeta!!

    Luís Mário Oliveira

    ResponderExcluir