quarta-feira, 31 de julho de 2013

Agourentas

Sirenes são agouros de morte.
Vêm gritando ao longe
e, ao perto, já matando
de medo o peito apertado
por curiosidade mórbida
arrepio do ouvido
lembrando um qualquer, relaxado,
do mundo onde vive.
De que é fácil estar ali e, de repente,
uma sirene vir lhe encontrar.
Ou, vai ver, nem chega a tempo, a agourenta!

quarta-feira, 10 de julho de 2013

São Lourenço quando pára

uma estranha calmaria se espalhou pela cidade
estranha/mente linda
mais quieta ainda que o normal

parece que a vida contentou somente em ser
parece que o tempo espera o tempo de morrer
sem hesitar

só os pássaros sabem do que vem a acontecer
cantam na curva a melodia do partir
e o sol que vem trazer seu vermelho a todo azul
conta a dor
canta a dor