sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Incondicional

Amar cada parte do corpo dela
Muito mais que cada parte do meu.
Amar cada marca da sua pele,
a verruguinha no seu ombro,
A cicatriz na coxa de quando caiu de bicicleta
Adolescente no interior.

Qualquer coisa que ela toca vira ouro.
Amar
Suas mãos de trabalhadora
Fortes e ásperas.
Amo seus cabelos macios
e o cheirinho de cigarro escondido na sua pele.

Os pelinhos loiros
feito penugem em seu rosto,
suas rugas.
Amo como o tempo passa e ela parece mais linda.

Amo as estrias em seus seios
e as pequenas varizes em suas lindas pernas.
Amo seus seios que um dia suguei em busca do seu leite que amo.
Eu, quando ainda nem era eu.
Um pedaço de carne
construído em seu ventre,
um filhote.

Tudo
que ela ama vira ouro.
Sob o olhar dela eu me sinto ouro.

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Avenca

Murchou a avenca.
Murchou num dia e no outro
Morreu.
"Sensível como uma avenca."
Delicada, à presença do invejoso
Murcha
E morre.

Confesso
dolorosamente
ter trazido estes demônios para casa.
Carrego-os comigo.
Eles habitam meu entorno e os tenho carregado com afinco.

Não é só de inveja que minha alma é doente...
Essa vida de inveja há de matar-me
São dias só de febre na cabeça (...).