quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Avenca

Murchou a avenca.
Murchou num dia e no outro
Morreu.
"Sensível como uma avenca."
Delicada, à presença do invejoso
Murcha
E morre.

Confesso
dolorosamente
ter trazido estes demônios para casa.
Carrego-os comigo.
Eles habitam meu entorno e os tenho carregado com afinco.

Não é só de inveja que minha alma é doente...
Essa vida de inveja há de matar-me
São dias só de febre na cabeça (...).

Nenhum comentário:

Postar um comentário