segunda-feira, 17 de abril de 2017

Vida

Que eu possa tomar um café com amigos.
Que eu possa sentar em um café com um amigo sincero
Um velho, um novo amigo,
alguém que esteja disposto a estar em minha companhia
E ser agradável.

Sentar em um café
Tomar um café
Pagar um café se meu amigo estiver pelado e não puder pagar seu próprio café
Eu lhe pago um ou dois ou quantos cafés
Por sua companhia
E se eu não tiver nenhum dinheiro
Que eu tenha algum amigo que queira me pagar um café em troca da minha companhia.
E que eu seja agradável.

E se eu não tiver amigos que aceitem meu convite
No meio da semana, na terça-feira,
Trabalhosa ou folgada,
Que eu possa tomar um café
sozinha em um bom lugar
E que eu seja agradável.


Sobre a necessidade de encontrar codinomes/eu-líricos

Poesia narcisista
Obra egoísta.

Eu eu eu eu eu.
Eu.
Pesa o clima!
Poema diário, sem chaves,
lançado na rede pra ninguém ver
ou pra quem quiser ver
ou pra quem chegar sem querer naquele sítio.
Neste sítio.

Bem aqui,
de onde esse poema não sairá.
Poema sozinho de versos sem fundo
Nascerá e morrerá nesse endereço:

w w w ponto
Aqui jaz
Minha poesia egocêntrica.