quarta-feira, 10 de maio de 2017

Dia 10 de Maio de 2017

- E aí, amiga,
tem trabalhado?

- Não,
não tenho trabalhado.
Na verdade eu desisti,
estou doente.
Maurílio acha que eu vou sair dessa
mas eu acho que vou morrer
de tristeza.

Estou vivendo um clima de insalubridade,
esse cheiro ruim que estamos sentindo vem de mim!
- Que cheiro podre!
- É o que tenho por dentro, amiga, a podridão. É isso que você está sentindo.

Gostei de ver todas essas coisas novas que você vem fazendo,
de verdade.
Me deu um misto de orgulho e inveja.
Inveja da sua casa bonita com um pátio grande cheio de plantas e uma cozinha espaçosa
E do seu jogo de louças e panelas.
Orgulho do modo como você conseguiu sair daquela
e de quantas coisas bonitas você faz. Orgulho de ser amiga
de alguém tão talentosa e sábia,
Inveja dos momentos em que eu tentei dizer algo e você me cortou
para dizer outra coisa mais importante e inteligente,
como você sempre faz
e eu nem consigo revoltar-me pois sei
que realmente sua opinião precisa contar mais
(tamanha minha admiração por ti).

Inveja dos seus seios fartos
do seu corpo alto,
seus cabelos volumosos,
do quanto você sabe sobre arte,
do quanto eu só finjo saber.
Do quanto você lê coisas cultas e sabe falar sobre política,
do quanto eu, por ansiedade
ou mesmo por burrice,
não consigo ficar calma e ler um livro.

A comparação
é inevitável.
Apesar de saber que "cada ser é um ser,
cada vida é uma vida
não há disputa!",
Apesar de repetir esse mantra diariamente,
Não consigo deixar de sentir o que sinto,
e por isso aqui escrevo.
Não consigo fazer coisas belas.
Se eu abro a boca meu fedor interno
podridão e gosma
começa a sair e jorrar pelos ares poluindo o ambiente
e todos percebem em seus íntimos o quanto eu não presto.
A gosma verde-amarelada feito catarro começa a escorrer pelas paredes
O cupins comem as janelas
o lixo cheio de larvas,
as plantas não duram mais de um mês.

Eu gostaria de te pedir desculpas por esses pensamentos.
- Me desculpe, eu sou um verme.
- Não, amiga, você não é um verme.
- Acredite, por favor, eu sou um verme. E então me desculpe, me odeie!