segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Do pouco que eu sei, digo talvez.

Quis ser a bicicleta que tu ganhou naquele natal. 
Quis ser um dos teus amigos quando vocês saíram sem rumo e faltaram a aula. 
Quis ser tua mãe Creuza quando tu não queria comer o almoço,
quando descobriu tua mochila esquecida no colégio
ou quando tu saiu do banho com os joelhos sujos.
Quis ser tua irmã Gilmara te apresentando Paralamas do Sucesso,
quis ser tua irmã Fabiana nas tardes musicais quando tu aprendeu a tocar violão. 

Quis ser o papagaio Loro que te pedia café,
Quis ser a moça por quem tu te apaixonou em Macapá, 
Quis ser o barco no qual tu cruzou o rio,
uma das redes em que tu deitou. 

Quis ser teu pai quando trabalhava na quitanda e conheceu tua mãe,
e, mais além, quis ser Neide, amiga da tua mãe que foi parar no orfanato em Santos nos anos 70.
Quis ser teu professor de Sax, 
Quis ser a cidade de Bagé e te ver andando solitário,
Quis ser as urticárias no teu rosto em Bagé. 

Quis ser Raul, teu colega de quarto em Pelotas,
Assim como quis ser Raul, teu filho. 
Quis ser a médica que tirou Raul da barriga de Milene, 
quis ser a primeira pessoa que segurou teu filho.
Quis ser alguém do lado da tua cadeira do hospital, que pudesse tocar no teu ombro e dizer que tudo ficaria bem. 
Quis ser a saia meio hippie que ela usava naquele video do Raul recém nascido
com teus pais no apartamento feio em Pelotas.
Quis ser tua mãe, mais uma vez, e não ir embora pra João Pessoa. 
Quis ser o Jack, quis ser o Kim, quis ser o Roberto e a irmã dele naquela festa. 
Quis ser a Gabi, namorada do Roberto, gravando os vídeos da tua banda. 
Quis ser a cocaína que tu cheirou, quis ser tua colega no direito, quis ser tua colega no estágio, quis te levar um café, quis ser tua colega no banco, sentar ao teu lado no caixa. 
Quis ser a camisa xadrez que tu mandou fazer na costureira, 
quis ser o tecido que tu escolheu.

Quis te ver nascer com as bolas tão grandes quanto as bolas do Raul. 
Quis ser as bolas do Raul! 
De alguma forma, tudo é tão nítido, é como se eu pudesse realmente estar lá durante a tua vida,
tua vida que tanto amo. 
Sofro pois queria mais, 
mas entendo que seria um pouco egoísta de minha parte ser todos eles. 
Sigo tentando me infiltrar nessas memórias. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário